terça-feira, 1 de agosto de 2017

# Literatura # Livros

Crime e Castigo / Memórias da Casa dos Mortos - Dostoiévski




Num período curto de semanas, li duas obras fantásticas de Dostoiéviski, obras que se complementam entre si, por serem a mesma temática. Sempre que resolvo ler algo, tenho que ter um pré-interesse no assunto abordado, e os assuntos da vez foram crime, prisão, etc. 

Biografia do autor
Dostoiévski em suas obras levanta muitas questões sobre os sofrimentos humanos, devido à sua história de vida. Ele nasceu em 1821, seu pai era médico dos pobres, e durante sua infância e adolescência, ele presenciou muito o sofrimento humano dos pacientes de seu pai e isso o marcou de alguma forma. Estudou Engenharia em São Petesburgo e após se envolver em uma conspiração contra o governo czar, foi condenado à morte, ele e muitos outros, mas se safaram bem na hora, a pena fora trocada por 4 anos de serviços forçados na Sibéria e 6 anos de soldado combatente. Antes e após a prisão, escreveu inúmeras obras literárias das quais se destacam : "Crime e Castigo", "Os Irmãos Karamázov" e "O Idiota". Sua obra é de grandíssima importância para a Literatura mundial.

Crime e Castigo - Resenha
Comecei a ler esse livro e não conseguia parar, ele me prendeu totalmente, eu mergulhei na leitura de uma tal forma que sentia que os personagens eram reais na minha vida! Esse livro conta a história de Raskolnikov, um estudante de Direito de São Petersburgo, muito pobre, em péssimas condições. Morava em um quarto que mal o cabia, que pertencia a uma agiota, a quem ele empenhava objetos para pagar sua estadia. Por falta de dinheiro ele larga os estudos e comete um crime terrível, a partir de então é acometido das consequências de seu infortúnio. Não conto mais para não dar spoiler, mas o que posso dizer a respeito da minha experiência com o livro é que eu não poderia morrer sem lê-lo, rsrs. Aprendi muito, como um criminoso é atormentado pela sua consciência, muito mais que pelo castigo da prisão, da humilhação. O fato de ele não se arrepender do crime, o tortura, ele deseja arrependimento, mas não consegue, isso tira sua paz e sentido da vida. Ele questiona muito sobre ter ou não o direito de praticar um crime , se esse crime pode ser benéfico ao mundo, questiona muito o sofrimento e as injustiças. Sem dúvida, uma obra fantástica que indico para todos lerem.


Memórias da Casa dos Mortos - Resenha
Como continuação de Crime e Castigo, ingressei na leitura dessa obra fantástica de Dostoiéviski, em que ele conta numa ficção sua experiência de presidiário na Sibéria. O livro conta a experiência de Aliexsandr Pietróvitch, um homem que matou sua mulher por ciúmes e cumpriu uma pena de 10 anos de trabalhos forçados na Sibéria. O livro retrata tudo sobre o presídio, como é a experiência daqueles mortos, que estão vivos por fora, mas mortos por dentro, é assim que eles se sentem. É um penetrante estudo psicológico da alma de um criminoso. É interessante ter a experiência dessa leitura, ainda mais nessa sociedade que só sabe apontar o dedo, muitas pessoas não têm compaixão por não saberem se colocar no lugar do outro. Erro não anula ninguém, todos somos humanos, e porque somos humanos estamos arriscados a errar, independente do tipo do erro. Falta humanidade na humanidade.


O Mundo do Crime
Aqui no blog, já falei a respeito do mundo dos vícios, agora quero falar em especial do mundo do crime. O que é esse mundo afinal? Como funciona a mente de um criminioso, por que ele maquina o mal na sua cabeça? Certamente quem nunca cometeu um crime não pode compreender a mente de um marginal. Já dizia o ditado : "cada cabeça, uma sentença." Por que o crime não acaba? Desde que o mundo é mundo, sempre existiu punições para criminosos. O fato é que para o criminoso ele tem razão, ele vive no seu mundinho, para ele, o que ele faz não é crime por uma série de motivos. Por isso que todos dizem que são inocentes. O que conta muito na vida de um criminoso é sua história de vida, sua criação, seus costumes. Muitos fazem o que foram ensinados a fazer. Não justifica, mas nos ajuda a compreender melhor. Só quem está na pele sabe. Uma pessoa é capaz de fazer qualquer coisa, desde que aquilo faça sentido pra ela, ninguém é capaz de fazer algo completamente sem sentido. Pode ser que tenha sentido de justiça, prazer, vícios, vingança, etc. O ser humano busca a felicidade, mas busca nas coisas erradas, vejo nisso o sentido da vida do criminoso. Ele busca ser feliz, mas busca de forma doentia. Não sabemos se há solução para o mundo do crime, mas vejo que a solução não está no julgamento, na forma bruta da prisão e da humilhação, se não, as cadeias não viveriam cheias. Repito: falta humanidade na humanidade.



2 comentários:

  1. Olá, Larissa.
    Obrigada pela visita e comentário lá no meu cantinho.
    Essa tua postagem é bem pertinente. É algo que me vem a mente sempre que penso sobre o assunto. Por exemplo, um criminoso que não demonstra arrependimento não significa necessariamente que não sofra uma pena interna e esmagadora acerca do crime cometido, mas também ao mesmo tempo esse sofrimento interno não significa que o criminoso não deva pagar uma pena externa, como um meio de disciplina, reabilitação, ou para conter o indivíduo que não consegue se controlar. Porque alguém que busca ser feliz matando, estuprando ou roubando não tem como deixar solto, né?

    Bjk e abençoado fim de semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Meris, seja bem vinda!
      Pois é, eles precisam pagar pelo seu crime, a pena externa, só que vejo que a cadeia brasileira está sendo uma escola do crime, ao invés de reeintegrar o sujeito na sociedade. A situação só tem piorado com o tempo e sem contar que são muito desumanas as prisões. Acredito que tem que pagar sim, mas eles precisam de um acompanhamento para sua recuperação se não volta pior e comete crimes ainda piores. Tenso né?
      Obrigada pela visita heheh bjs !!!

      Excluir

Parcerias


Parcerias, digulgadores desse Blog:










Quer ser parceiro(a)?

Envie um e-mail para: larissa.coriemariae@gmail.com