segunda-feira, 17 de julho de 2017

O Jogador - Fiódor Dostoiévski






Resenha sem spoiler:


 Foi no interesse de conhecer esse mundo obscuro dos jogos que me ingressei na leitura de "O Jogador" de Dostoiévski! A história é contada em primeira pessoa por Aleksei Ivánovitch, um jovem de 25 anos que trabalha para uma família russa que está individada e que reside em Roletemburgo, a cidade dos cassinos. Apaixonado por Miss Paulina, enteada do general, a quem ele trabalha, ele se dispõe a jogar na roleta para conseguir dinheiro para ela ter dote suficiente para se casar. Ivánovitch até tem um senso crítico com as pessoas em sua volta, mas não tem rumo nenhum na vida, cego de paixão por Paulina e pela roleta ele aposta tudo, é capaz de qualquer coisa.
O general estava totalmente individado, todos os seus bens hipotecados e com apenas uma esperança: receber um telegrama constando a morte de sua avó, de quem receberia uma enorme herança, suficiente para pagar suas dívidas. Em vez de telegrama, eles recebem uma visita inesperada: a avó chega por lá cheia de saúde e não quer dar dinheiro algum para eles. Vai ao cassino só para conhecer e aceita ir à roleta: (lá todos cooperam para atrair jogadores e veem a avó como uma vítima). O general e sua família ficam desesperados, temem que que ela perca toda a sua fortuna, pois os franceses ficariam sem seu dinheiro já que o general dependia de sua herança para pagá-los. Não bastasse isso, ele tinha uma paixão por Mle Blanche, e ela interessada estava era em seu dinheiro. Enfim: paixões doentias, falências, loucuras, imbecilidades são os elementos fundantes da obra de Dostoiévski, uma obra quase que autobiográfica, pois o escritor quase acabou com sua vida no jogo. Aleksei é um russo pobre, porém culto, que perambula pelo estrangeiro, confuso e tomado de uma agitação febril que o faz perder ótimas oportunidades, e que sujeita a sua vida à sorte de uma roleta que anula sua vontade e na qual aposta todas as suas esperanças, o amor e o futuro.


Literatura Russa

De Dostoiévski, esse é o terceiro romance que eu leio. Comecei com "Humilhados e Ofendidos", depois li o pequenino "Noites Brancas" e agora complemento muito bem acredito eu com essa obra fantástica "O Jogador". Confesso que já tentei ler "O Idiota" e não consegui ir em frente, é muito densa e não me senti preparada pra absorver tudo. A próxima que quero ler é "Crime e Castigo", talvez depois eu retorne a "O Idiota". Enfim, depois de me enveredar pela literatura russa, é difícil parar, realmente é uma literatura magnífica.


O mundo dos vícios

Graças a Deus não tenho esses tipos de vícios: bebidas, drogas, jogos, entre outros. E é exatamente por isso que me interesso em entender o que se passa com os viciados. E tenho o desejo de ajudar essas pessoas, vejo que é um caminho sem volta, o vício realmente cega às pessoas e trocam sua vida por ruínas.

"Aquele que se envereda por esse caminho, vai descendo cada vez mais rapidamente, como se se jogasse do alto de uma montanha de neve num trenó." (O Jogador cap 13, página 118 p.4) 

Ao longo da leitura, esse trecho foi o mais interessante para mim. Como pode uma pessoa ficar tão cega a ponto de não enxergar que está no fundo do poço? E é a triste realidade dos vícios. O livro também conta que há jogadores tão viciados que ficam 24 horas jogando sem ver o que está em volta, sem virar a cabeça, simplismente não sentem fome, sono ou sede.
Do mesmo jeito que no jogo se ganha muito alto e pode perder tudo em um segundo, nas drogas é a mesma coisa: ganha-se dinheiro fácil mas tudo pode acabar em prisão ou morte. De que adianta? Pode-se dormir com a consciência tranquila sabendo que um dia pode ser morto ou preso e assim perder tudo? E não sente a consciência pesar sabendo que prejudica-se outras vidas e perde a sua própria? Os viciados sempre dizem que sabem a hora de parar e aí mora a ilusão. Há viciados em dorgas que abandonam a família, os estudos, sua casa, seu conforto, tudo pela droga. Não sentem fome, emagrecem, a aparência fica horrível! Largam tudo! Vão morar na rua, às escondidas, habitam nas trevas, nas "cracolândias" são seres humanos que buscam sua vontade doentia: sua própria ruína.
Começa do pequeno: um cigarro, uma maconha, que já vai para a cocaína e é um pulo para o crack. O que leva um ser humano a se destruir? Busca a sua felicidade, mas busca na ilusão, o mundo dos vícios é um mundo de ilusão. Tudo o que escraviza não vale a pena.
Eis aí uma boa reflexão. Vivemos nesse mundo: mundo egoísta, movido ao prazer, ao dinheiro, à cobiça, à inveja e consequentemente tudo isso, vivemos no mundo da auto-destruição. Que triste esse mundo em que vivemos. Um prazer momentânio é igual a uma vida fracassada. É uma vida vazia e sem sentido já que tudo isso passa, a vida é como um vento. "Tudo é vaidade e grande desgraça."(Eclesiastes) Uma vida boêmia e passageira, ou uma vida virtuosa e duradoura? Um dia ouvi essa frase de um ex-presidiário: "Prazer momentânio gera sofrimento duradouro." Não deseje o que é fácil, "pois o que vem fácil vai fácil" - ditado popular.


10 comentários:

  1. WOW Great post!
    follow or follow? let me know
    fashion-lovely-look.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thank you for your visit! I already follow you, follow me too!
      Good thing you liked the post, come back, hugs!

      Excluir
  2. Não conhecia esse livro mas pelo que escreves parece ser interessante! :) Beijinhos
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderExcluir
  3. Olá, Larisse
    Começo por agradecer a sua visita ao meu blog e suas generosas palavras, e ao mesmo tempo aproveito para conhecer seu espaço, que me agradou muito.
    Sobre este seu último post, devo dizer que li este livro há muitos anos, assim como o Crime e Castigo, deste mesmo autor. Os dois fazem parte da minha "biblioteca".
    Os escritores russos agradam-me (sou suspeita porque sou viciada em leitura...). Não sei se conhece Leon Toslstoi... É muito bom!
    Não vou alongar-me mais porque, quando começo a falar de literatura... não me calo mais... rsrsrsrsrsssssss
    Fiz-me sua seguidora e espero que faça o mesmo. Será a forma de não nos esquecermos uma da outra...

    Bom Fim-de-semana
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mariazita! Fico muito feliz por ter vindo me visitar e por ter gostado!
      Gostei muito do seu blog também e me fiz tua seguidora!
      Sobre o livro, estou lendo "Crime e Castigo" atualmente, acredita?! Realmente os escritores russos são maravilhosos...
      Conheço sim Leon Tolstói! A propósito, não li nada dele, mas quero muito ler "Guerra e Paz" é gigante né, você já leu? (Quero criar coragem!) Já vi o filme "Ana Kariênina" por isso não leio o livro, já sei o final e pra mim perde a graça, rsrs
      Muito bom saber que ama Literatura, dá pra se ver o quanto temos em comum! Você é escritora né? Vi que escreveu livros e até assisti sua entrevista na TV. Gostei demais!
      Bom, seja muito bem vinda à Minha Literaturinha,fico lisongeada de te ter por aqui e te conhecer! Bom fim de semana! Grande abraço!

      Excluir
    2. Olá, Larissa
      Obrigada pelo retorno tão breve na minha CASA
      Sim, já li, do Tolstoi, Ana Karenina (claro!!!), Guerra e Paz (adorei!) e A morte de Ivan Ilich.
      Bom, eu não me considero escritora, embora adore escrever...
      Publiquei apenas dois livros, e tenho outros dois projectos entre mãos. Vamos com calma, porque publicar um livro, pelo menos em Portugal, não é nada barato... rsrsrsrssssss

      Amiga, acabei de publicar um novo post, o último antes de ir de férias.
      Espero que apareça e... goste...

      Bom Fim-de-semana
      Beijinhos
      MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

      Excluir
    3. Quando a gente gosta, sempre retorna!
      Poxa, que bom saber que leu Tolstói,e que gostou, me incentiva, pois como eu disse, ainda quero ler o "Guerra e Paz"!
      Escrever é bom demais né! tenho vontade de ler seus livros, quem sabe ainda eu leia! Como disse um amigo meu: é muito livro para pouca vida! rsrs... Imagino que seja caro mesmo!
      Claro que vou ler seu post sim! Obrigada por voltar aqui!
      Boa semana e grande abraço! Boas férias!

      Excluir
  4. Li o livro há alguns anos e também gostei.
    Há bons escritores em todos os países. At´em Portugal, que é pequenino...
    Gostei de conhecer o seu blog, é muito bom.
    Larissa, um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Jaime! Que bom que gostou!
      Sim, há muitos bons escritores em todo lugar mesmo!
      De Portugal, o que eu li gostei muito!
      Que bom que gostou do meu blog, volte sempre, boa semana!
      Abraços!

      Excluir