quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Santos de Calça Jeans



 Carta do Papa João Paulo II (atualmente São João Paulo II) aos jovens:

"Precisamos de Santos sem véu ou batina.
Precisamos de Santos de calças jeans e tênis.
Precisamos de Santos que vão ao cinema, ouvem música e passeiam com os amigos.
Precisamos de Santos que coloquem Deus em primeiro lugar, mas que se “lascam” na faculdade.
Precisamos de Santos que tenham tempo todo dia para rezar e que saibam namorar na pureza e castidade, ou que consagrem sua castidade.
Precisamos de Santos modernos, Santos do século XXI com uma espiritualidade inserida em nosso tempo.
Precisamos de Santos comprometidos com os pobres e as necessárias mudanças sociais.
Precisamos de Santos que vivam no mundo, se santifiquem no mundo, que não tenham medo de viver no mundo.
Precisamos de Santos que bebam Coca-Cola e comam hot dog, que usem jeans, que sejam internautas, que escutem discman.
Precisamos de Santos que amem a Eucaristia e que não tenham vergonha de tomar um refrigerante ou comer pizza no fim-de-semana com os amigos.
Precisamos de Santos que gostem de cinema, de teatro, de música, de dança, de esporte.
Precisamos de Santos sociáveis, abertos, normais, amigos, alegres, companheiros.
Precisamos de Santos que estejam no mundo e saibam saborear as coisas puras e boas do mundo mas que não sejam mundanos."

Para quem não leu "Santos de Calça Jeans", de Adriano Gonçalves (CN), convido a ler, pois foi um dos livros que mais me marcou, em termos de livros religiosos, simplismente maravilhoso.
Sobre ser santo nos dias de hoje, vejo essa mensagem do Papa, muito esclarecedora, já que muitos não conseguem ter o discernimento do que convém a um jovem cristão e o que não convém. Muitos levam a uma radicalidade desnecessária, outros por outro lado extravasam aproveitando a vida, desfrutando coisas que não são boas ao seu paladar.
A Igreja ensina que podemos experimentar as coisas boas da vida, do mundo, sem ser do mundo: sem estar conivente com o mal que o mundo prega. "Tudo posso mas nem tudo me convém": essa frase de São Paulo deve estar gravada nos nossos corações, pois devemos saber que somos sagrados e não objeto que o mundo usa e joga fora. Somos filhos de Deus, amados e preciosos para Ele, nossa vida foi salva pelo Sangue do Cordeiro de Deus: Jesus Cristo, portanto se sabemos quem somos, sabemos que não somos um objeto qualquer e então, não vamos nos entregando ao que nos desfigura, ao que fere nossa imagem de filhos de Deus.
Acredito que ser santo é amar a Deus, seguir seus ensinamentos, obedecer à Igreja, descobrir qual é a nossa vocação e missão aqui, acreditar e esperar na vida eterna (saber que aqui é nossa embarcação, não nossa morada.)
Temos muitos exemplos na Igreja, de jovens que foram santos sem deixar de serem jovens:

Beato Pier Georgio Frassati, Alpinista.
Itália

Beata Chiara Lucce, "esportista por excelência" amava patinar, amava as montanhas e o mar.
Itália

Servo de Deus Guido Schaffer, Surfista.
Brasil



E você? Como vive sua santidade? Qual seu jeito particular de amar a Deus? Deixe nos comentários se quiser compartilhar seus hobbies, seus gostos e preferências. Que Deus abençoe a todos nós e nos faça santos de calça jeans, de calça florida, de calça larga, de chapéu, de boné. Seja santo do jeito que você é, Deus te ama assim. Amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário