quinta-feira, 9 de março de 2017

# Artigo # Espiritualidade

A Solidão...




Há algum problema com a solidão? Será que uma pessoa que está sozinha neste momento está infeliz, e outra que está com uma multidão está feliz? Esse assunto me intriga muito, por isso resolvi escrever essa espécie de artigo de opnião, embasado em muitas coisas que li e aprendi. Sei que estar sozinho, fisicamente não é sinônimo de solidão, pois uma pessoa pode estar sozinha e ao mesmo tempo estar consigo mesma e com Deus, portanto sente-se preenchida interiormente, sente-se em paz e feliz.
Em contrapartida, uma pessoa pode estar num lugar rodeada de pessoas que dançam, cantam, festejam, etc. E essa pessoa pode estar se sentindo completamente só, vazia, triste, sentindo falta de algo ou alguém, perturbada, etc. Interessante né. Essa pessoa pode estar entre muitas, mas desentrosada, com o coração distante de todos, sem vínculo afetuoso com ninguém. Isso é solidão.
Existe esse parâmetro de introversão e extroversão: uma pessoa extrovertida pode estar se sentindo sozinha ou não, e a mesma coisa a introvertida. Depende do interior da pessoa, se ela está em paz com ela mesma, se ela se conhece, se consegue estar consigo mesma.
Não sou um modelo de perfeição, longe disso, mas quero contar meu exemplo. Eu sou uma pessoa  extrovertida. Considero que tenho o dom da comunicação, mas é absolutamente incrível o amor que tenho pela solidão, e esse amor vem aumentando com o tempo. Amo ficar sozinha em minha casa, quando todos saem eu me sinto imensamente confortável. Gosto de ficar pensando na vida olhando para o além, amo ouvir música, mas também amo o silêncio, amo ver filmes, ler livros, escrever, rezar, etc.
Outra paixão que tenho é caminhar sozinha. Acredito que não estou sozinha, estou acompanhada de mim mesma e de Deus. Estou com "Deus só".
Também gosto de falar sozinha, acredito que é bom a gente conversar consigo mesmo, pois então a gente se conhece e se ama, isso é muito importante. 
Lembro que quando eu trabalhava num lugar, tinha uma escada que dava pra uma vista linda: dava para ver muitas montanhas e a estrada. Eu sentava e ficava a refletir. Uma coisa boa também para se fazer na solidão é algum hobby. Para quem gosta de pintar, pinte, para quem gosta de ler, leia, para quem gosta de cantar, cante. Nós nos realizamos nessas pequenas coisas como seres humanos. 
Uma outra coisa que tenho a falar é sobre essa foto do post! Muita gente sabe o quanto sou fã de carteirinha dos monges cartuxos (Ordem Cartuxa). E lá vai eu falar deles de novo, hahaha. Para quem não conhece e caso ler esse post: são monges amantes da solidão , eles vivem a sós com Deus, tem pouquíssimo contato de conversa, só uma vez por semana, e sinceramente, para quem acha que a felicidade está em ter sucesso na vida e viver rodeado de pessoas a te elogiar e aplaudir, fica abestalhado com a felicidade desses irmãos. Para alguém que duvidar, só assistir o documentário que fizeram em 2005, na Grande Cartuxa da França. A cartuxa foi filmada, o cotidiano deles todinho. E basta ver quantos monges jovens e de boa aparência com uma felicidade que exala do olhar. É o grande exemplo que tenho a dar que a felicidade está dentro, não fora.
Temos que avaliar: estou feliz independente das circunstâncias? Ou preciso de fatores externos para eu estar feliz, alegre? Quando estou bem, isso dura muito, ou logo vem um vazio a me maltratar? Onde está a paz e felicidade da minha vida? Depende do que tenho, do que faço, de quem está perto de mim? Pois posso estar confiando minha vida numa barca furada. 
Vou fechar esse post com uma frase de um sábio professor: "DURMA COM ESSE BARULHO"...








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Parcerias


Parcerias, digulgadores desse Blog:










Quer ser parceiro(a)?

Envie um e-mail para: larissa.coriemariae@gmail.com