sábado, 24 de junho de 2017

Cora Coralina

junho 24, 2017





Quem nunca ouviu falar da escritora brasileira Cora Coralina? Todo mundo já! Mas será que todo mundo conhece sua história e sua obra? Eu conhecia só de nome e por algumas frases muito bonitas que eu via assinadas por ela. Como essa:





Eu sabia que era uma senhora muito sábia e que escrevia poemas, mas não sabia que era uma pessoa extremamente sofrida e que só começou a escrever muito tarde e sua poesia faz muito sucesso. Há muita sabedoria em seus versos, já aprendi muito com eles. Lembro de ter lido um livro dela em 2013 e depois outro o ano passado e sempre fiquei encantada. Vamos conhecer sua vida?

Vida e Obra

Cora Coralina nasceu na Cidade de Goiás em 20 de agosto de 1889. Em 1905, quando estava com dezesseis anos de idade, enviou uma crônica de sua autoria para o jornal “Tribuna Espírita”, da cidade do Rio de Janeiro, sendo essa sua primeira publicação. Em 1908, aos dezenove anos, criou, com a ajuda de duas amigas, o jornal de poemas femininos “A Rosa”. Seu primeiro conto, “Tragédia na Roça”, foi publicado em 1910 no “Anuário Histórico e Geográfico do Estado de Goiás”. Ficou conhecida por ter ingressado tardiamente no mundo das letras, mas as datas que citamos ajudam a desmistificar essa ideia. Cora começou cedo, porém o reconhecimento chegou quando já era uma senhora de setenta anos. Passou a maior parte de sua vida no estado de São Paulo, lugar onde nasceu seus seis filhos, registrando passagens por Jaboticabal, Penápolis, Andradina e a própria cidade de São Paulo. Regressou para a cidade de Goiás já idosa e viúva, retornando para a Velha Casa da Ponte sobre o Rio Vermelho, residência ancestral de sua família.

Poemas dos Becos de Goiás e estórias mais, seu primeiro livro, foi publicado pela Editora José Olympio em 1965. O livro foi enviado por Cora para vários escritores, tendo sido Drummond um deles, e foi justamente pelas mãos do poeta que a figura da escritora ganhou projeção nacional. Drummond louvou a personagem idosa que escrevia versos singelos, sem muito adentrar as particularidades da escrita de Cora. Construiu-se então um mito, a figura da velhinha que começara a escrever tardiamente, cuja obra poucas vezes ganhou a devida atenção da crítica literária. Ao conferirmos seus depoimentos (existem entrevistas em vídeo da poeta), podemos notar a firmeza que suplantava a ideia de velhinha frágil tão amplamente difundida.

Cora Coralina faleceu em Goiânia em 10 de abril de 1985. Após sua morte, a Velha Casa da Ponte foi transformada no Museu de Cora Coralina, que guarda diversos de seus manuscritos, livros, objetos pessoais e as correspondências trocadas durante anos com o amigo Carlos Drummond de Andrade. Cora escreveu sobre seu próprio tempo e sobre um tempo futuro, pois dizia escrever para as gerações vindouras. Deve ser vista muito além da figura mítica que para ela foi criada e, por isso, merece nosso interesse e leitura.

O Museu


Construída no século 18 para abrigar os “recebedores do Quinto Real”, a antiga residência da poetisa foi adquirida pelo trisavô de Cora, o sargento-mor João José do Couto Guimarães, em 1825. E nunca mais deixou de ser da família.

“Nasci nesta velha Cidade de Goiás no século passado e tenho comigo todas as idades”, costumava afirmar, orgulhosa.

O casarão branco de janelas retangulares, bordeados por madeira, resiste no tempo como a poesia de palavras incentivadoras de Cora. Mesmo após a enchente que afetou essa e outras construções da Cidade de Goiás, em 2001, a casa seguiu de pé, ainda que arquivo e estruturas tiveram que passar por restauros.




Vista da fachada do Museu Casa de Cora Coralina, na Cidade de Goiás (foto: Eduardo Vessoni)




Cozinha de Cora Coralina



Detalhes da cozinha



Sala



Detalhe de um dos documentos arquivados


Uma das peças mais emocionantes em exposição é a carta original que o poeta mineiro Carlos Drummond de Andrade enviou a Cora, em 1979, cujos óculos pretos arredondados repousam sobre o papel branco em que o cronista de Itabira escrevera “Ah, você me dá saudades de Minas, tão irmã de Goiás. Dá alegria na gente saber que existe bem no coração do Brasil um ser chamado Cora Coralina”.

Carta do poeta Drummond a Cora Coralina (foto: Eduardo Vessoni)



Sala 



Quarto de Cora Coralina



Vale a pena ir lá um dia desses né?! Muito interessante. Agora deixo aqui meus poemas favoritos da escritora.





                                

Vamos aprender com essa sábia escritora!



segunda-feira, 19 de junho de 2017

A Escola Ideal

junho 19, 2017


Hoje gostaria de falar sobre a e educação, escola e conhecimento, mas prometo não ser um discurso clichê que a gente vê sempre nos jornais e revistas, que sempre falam a mesma coisa do problema de educação no país que vem da falta de investimento do governo devido toda essa palhaçada que é o governo brasileiro que esbanja corrupção e não investe em saúde e educação etc. Já estamos enfadados e isso não muda, não importa quantos livros do Paulo Freire e de outros escritores circulem por aí, a questão não muda e a escola está virando uma ditadura, por razões muito simples: porque quem que não vai à escola não recebe diploma, e consequentemente não arruma emprego, ou quem não passar de ano pode ficar sem o celular (antigamente era surra), enfim, ninguém vai a escola para aprender e se construir e sim para passar de ano. Resultado: Muitos colam, decoram e depois esquecem o que colou ou decorou e passa de ano sem saber nada. Para por aí? Não! Depois isso se repete na faculdade, onde faltar é uma febre, principalmente na sexta-feira. O Wikipédia da internet é uma fonte de pesquisa, um sistema "CTRL+C/V" e fica todo mundo ignorante e depois isso resulta em toda uma sociedade estragada por péssimos médicos, psicólogos, advogados, políticos etc. Pessoas que estão com vidas nas mãos e são péssimos profissionais que só colaboram para tudo piorar cada vez mais. Isso sem contar os efeitos do mau uso da internet, que era para ser uma ajuda mas infelizmente tem muita gente viciada e não se dedica em nada porque vive com o celular na mão.
Não sou a dona da razão, mas quero falar no que as escolas tanto pecam, embasada no que leio e ouço de escritores muito inteligentes como Rubem Alves, Ariano Suassuna e Adélia Prado.
Olha só essa reflexão de Rubem Alves:

"Se fosse ensinar a uma criança a beleza da música não começaria com partituras, notas e pautas. Ouviríamos juntos as melodias mais gostosas e lhe contaria sobre os instrumentos que fazem a música. Aí, encantada com a beleza da música, ela mesma me pediria que lhe ensinasse o mistério daquelas bolinhas pretas escritas sobre cinco linhas. Porque as bolinhas pretas e as cinco linhas são apenas ferramentas para a produção da beleza musical. A experiência da beleza tem de vir antes."
Rubem Alves

Impressionante como eu estudei muito mais depois que já tinha o diploma do 3° grau. E isso já ouvi falar que aconteceu com muita gente, inclusive com intelectuais. Não me lembro de eu pegar os livros da escola em casa pra eu estudar e sim porque ia cair na prova. Eu tirava notas muito boas mas e depois? Eu procurava saber mais? Esquecia tudo o que eu tinha estudado. Não estou dizendo que meus professores não eram bons, sim havia muitos professores bons. Mas esse sistema de notas acho um absurdo mesmo. Hoje eu amo ler e assistir vídeos sobre História, apesar de eu ser professora de línguas. Sempre gostei de história e entendia bem, mas não era por paixão e sim por obrigação de tirar notas boas. Por que estudar história? Porque é bom conhecermos as culturas e tudo o que aconteceu antes, para entendermos o hoje e para evitar que aconteça os erros novamente. Saber dos erros do passado nos previne dos futuros, não só no país não, mas também na nossa vida, isso é sabedoria. Fiquei impressionada com os vídeos "Nostalgia História" do Canal Nostalgia, eu aprendi muito com aqueles vídeos e de forma dinâmica e super engraçada. Vi muitas visualizações e comentários do pessoal e pensei: esse rapaz de 26 anos, youtuber e famoso que não é historiador nem professor de história está fazendo tudo o que a escola não faz, rsrs. Ele fala dos acontecimentos com gírias, encenações, usa muito bem das ferramentas na hora de editar os vídeos e arrasa mesmo. O pessoal adora e todo mundo quer saber mais de história e aguardam anciosamente pelos vídeos. E na escola, isso acontece? Os professores não estão conseguindo disciplina e se conseguem é mais fácil os alunos dormirem que prestarem atenção.
Rubem Alves diz em um vídeo, que o conhecimento e a inteligência devem ser provocados pelo professor no aluno. Depois de provocados, eles acordam e a partir daí nasce uma sede interminável de saber. E a maioria em todos os anos de escola não são provocados, porque a escola não deixa, fica dando tanto trabalhos e provas que o aluno não consegue focar em aprender.
Adélia Prado diz que no caso da Literatura, o professor deveria oferecer como um tesouro a ser descoberto, e não é o que acontece. "Leiam Machado de Assis neste bimestre porque vai cair na prova." Pronto, acabou com a literatura. Como alguém se interessa? Por que não transmite essa riqueza com verdadeira emoção como se estivesse vendendo uma pizza cheirosa e saborosa?


O professor deve saber vender seu peixe, trata-se de conhecimento e de pessoas que estão sendo formadas para o futuro de nosso país e do mundo. Deve-se falar com entusiasmo, se ele mesmo não transmitir a importância com seus gestos e voz, como o aluno vai se convencer de que aquilo realmente importa? Infelizmente já tive professores que me fizeram odiar a matéria, e alguma que até eu gostava antes. Lamentável né. No livro "Uma professora muito maluquinha" Ziraldo retrata o ideal professor e educação na personagem "Cat", a professora maluca que não quer dar provas mas faz todo mundo amar a ler e querer saber de tudo, os alunos entravam correndo na sala e não queriam que a aula acabasse. O livro é uma homenagem ao papel do professor e ao mesmo tempo uma crítica ao que o professor está sendo no Brasil. Inclusive já falei dele aqui no blog.




Ariano Suassuna vai fundo nessa afirmação, sim o professor tem que ser ator, ele é um grande artista de deve transmitir conhecimento de maneira honrável. Mas cada um do seu jeito, cada professor é único, tem seu estilo próprio, e sua manha também.
A desvalorização do professor e da educação no nosso país deveria ser uma preocupação para todo mundo, não só para os professores. Infelizmente cada um só pensa em si, mas deve-se pensar que o professor forma todas as profissões, então ele é um sujeito super importante que deveria sim ser muito valorizado, por isso o país está do jeito que está.



Enfim, era isso que eu tinha a dizer. Concordo muito com essa escola ideal que esses escritores falam. A escola é muito importante, mas infelizmente quem ama estudar, ler e escrever, ando vendo que não foi na escola que começou a amar. Possamos refletir sobre isso. E aproveitem do jeito certo a internet, temos o mundo nas mãos, acesso a muito conhecimento, não vamos desperdiçar os livros "queimando todo dia mil bibliotecas de Alexandria" como diz a música de Tiago Iorc. Para encerrar deixo mais um trecho do nosso admirável e saudoso Rubem Alves:


"Há escolas que são gaiolas e há escolas que são asas.
Escolas que são gaiolas existem para que os pássaros desaprendam a arte do vôo. Pássaros engaiolados são pássaros sob controle. Engaiolados, o seu dono pode levá-los para onde quiser. Pássaros engaiolados sempre têm um dono. Deixaram de ser pássaros. Porque a essência dos pássaros é o vôo. Escolas que são asas não amam pássaros engaiolados. O que elas amam são pássaros em vôo. Existem para dar aos pássaros coragem para voar. Ensinar o vôo, isso elas não podem fazer, porque o vôo já nasce dentro dos pássaros. O vôo não pode ser ensinado. Só pode ser encorajado."
Rubem Alves


Mundo Visto de Cima

junho 19, 2017


Olá habitantes da blogosfera!
Venho aqui trazer dicas de programas de TV !
Se você é como eu, ama conhecer sobre lugares: culturas, história e turismo, e nem sempre tem dinheiro para viajar, seus problemas acabaram! E não tem nada a ver com organizações tabajara não! Tem a ver com a programação diária transimitida na +GLOBO SAT! De graça, sem filas e debaixo das cobertas nesse friozinho de junho...
Em "Mundo Visto de Cima", "Brasil Visto de Cima" e "Paisagens Aéreas" você pode acompanhar em imagens de alta definição locais importantes com guia turístico e tudo, explicando tudo historicamente, culturalmente te ajuda a escolher um roteiro e te transporta para outro país sem precisar sair de casa, o que ajuda muito quem não está podendo no momento.
O programa baseia-se primeiro em uma região escolhida, mostra-se o mapa e a rota a ser feita. Após isso, haja folego para tantas imagens lindas. Mas o melhor de tudo é também ouvir sobre o lugar que está mostrando. Além de explicar o que você está vendo, o narrador conta a história do local, dá dicas sobre a cultura, política, etc. de acordo com o que mostram.
Mas tem graça isso? Claro que tem! Não se pode conhecer o mundo todo, é caro, ninguém tem condição, se não se pode ir com o corpo, "bora" com a mente! Assim como viajamos com os livros, também é válido essa viagem mental. O que vale aqui é conhecimento.

E aí gostaram da dica? Espero que sim! Boa semana a todos!

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Museus Virtuais

junho 15, 2017



Museus Virtuais? Como Assim? Vou explicar! Esses dias estava mudando de canal como quem não quer nada e achei uma entrevista muito interessante falando sobre os museus que estão disponibilizados em um site na internet. Seria o que exatamente? As principais informações, a história e muitas fotos do local, dos objetos e etc. Mas por que alguém se intereressaria em ver na internet, o legal não é estar lá, presente, ver de perto, tocar? Sim, mas nem sempre temos a oportunidade, pode ser longe e a gente pode estar sem grana, ou também podemos ter outras prioridades para viagens e com isso perdemos a oportunidade de rechear a nossa bagagem cultural, pois cada museu que visitamos, enriquece nossos conhecimentos e nossa cultura e nos faz compreender mais quem somos e onde estamos, a arte verdadeiramente nos alimenta.
Achei muito interessante pois muitas vezes gastamos o nosso tempo com redes sociais e até vendo coisas que nada nos acrescentam, não é verdade? E nada mais legal que conhecer a cultura e a arte e sem sair de casa, do seu sofá mesmo. 
E outra coisa interessante: você vendo as fotos e as informações sobre o museu pode te aguçar e ir visitá-lo caso lhe agrade. É uma chance que temos de encantar ou não com o que vemos e decidir ir de corpo presente, por que não? Acredito que como se fosse um restaurante que você conhece por um folheto, se a foto da comida te der água na boca você vai correndo nesse restaurante. Penso que a arte tem esse poder de nos chamar, como a comida. Digo isso por experiência própria. De tanto ver a foto da "Casa da Ópera" e do "Museu da Inconfidência", ambos de Ouro Preto, não resisti, tive que ir lá de corpo presente e me deliciei vendo então tudo com meus olhos e tocando com minhas mãos mineiras: mineiro tem que pegar com a mão!
Enfim, vale a pena ou não vale embarcar nessa viagem? 

O site é http://www.conhecendomuseus.com.br : só clicar em Museus e escolher qual você quiser.
Boa viagem!

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Cinema: "A Cabana"

junho 02, 2017




Começando o mês com o pé direito, hoje trago um pouco de cinema aqui para o blog! Há algumas semanas, estreou o filme "A Cabana" aqui na minha cidade e minhas amigas me convidaram e fui. Para quem não sabe, foi baseado no livro best-seller, escrito por William P. Young em 2007.
Eu tinha lido esse livro há alguns anos e nem lembrava muito bem do enredo. Mas lembro que gostei muito, é um livro que a gente devora, simplismente não consegue parar de ler.





Então fui assistir no Cinema como quem não quer nada e fui incrívelmente surpreendida, acredito que por Deus, rsrs. Eu não esperava ser tão tocada como fui, eu fui tocada profundamente, eu simplismente chorei o filme todo e depois voltei chorando para casa, haha.
Eu chorar em filmes? Muito raro, ainda mais no Cinema! Apesar de não lembrar muito bem de quando li o livro, tenho certeza que o filme conseguiu ser muito melhor.
Os atores, o cenário, tudo foi muito bem idealizado e projetado, eu simplismente me senti dentro do filme, eu estava vivendo tudo aquilo, sinto que foi para mim todas as palavras, eu me senti diante de Deus, foi exatamente isso que senti. Bom, não vou resenhar mas quero deixar aqui uma pequena sinopse e que seja um convite para assistirem no cinema ou depois alugar mesmo, mas não percam a oportunidade, é uma história forte, cheia de verdade, cheia de emoção mesmo.

Sinopse

Um homem vive atormentado após perder a sua filha mais nova, cujo corpo nunca foi encontrado, mas sinais de que ela teria sido violentada e assassinada são encontrados em uma cabana nas montanhas. Anos depois da tragédia, ele recebe um chamado misterioso para retornar a esse local, onde ele vai receber uma lição de vida

Trailer





Tenho ido pouco ao cinema, esse ano só fui assistir esse e também "Minha mãe é uma peça 2". Com essa história de Netflix, Sky, internet e outros, a gente fica mais aconchegante, no cinema em casa mesmo. Mas acho muito bom ir ao cinema, divertir com amigos e pessoas queridas, é um ambiente legal, sem contar que você se sente mais dentro do filme por conta da qualidade e tal, é um lazer muito bacana.
Quanto a ler um livro e depois assistir o filme acho uma atividade muito interessante, pois trabalhamos com nossa mente para imaginar os cenários, personagens etc. E depois vamos conferir como uma outra pessoa imaginou e idealizou, é legal quando se  parecem com o que imaginamos né? 
Quanto a esse filme, nem lembro como imaginei no livro, mas acredito que ficaram perfeitos todos os personagens por isso me envolvi demais no filme.

Bom é isso, a dica foi dada. Espero que tenham gostado, compartilhem, comentem...

terça-feira, 30 de maio de 2017

Nostalgia Orkut e MSN

maio 30, 2017




O tempo está passando tão rápido que até há redes sociais ficando antigas e merecem nostalgia da minha parte! E eu sou tão nostálgica e posto tanta coisa de nostalgia, que daqui a pouco o Felipe Castanhari vai me convidar para participar do Canal Nostalgia, rsrs.
Foi-se o tempo que eu acessava o Orkut para postar minhas fotos e  ter um tantão de amigos e muitos scraps, e o msn para conversar. Hoje tudo isso já foi substituído por Facebook, Instagram, Twitter e outras mais, o que mais existe hoje são redes sociais, está sendo até um vício e todos precisam tomar cuidado e levar a sério a própria vida, os estudos o trabalho né. Mas usando sem exagero é legal pois nos possibilita acessar coisas interessantes e fazer amizades muito boas.
Fois-se o tempo em que a gente usava o telefone ou o orelhão! Agora a comunicação está muito rápida e num segundo uma pessoa que está do outro lado do mundo pode ver sua cara, falar com você e até saber o que você está comendo nesse momento. Incrível né?
Pois vou contar a minha história com redes sociais, como tudo começou. Lembro que quando começou essa moda de Orkut, eu estava no ginásio ainda, não tinha computador em casa e nem sabia mexer também. Lembro que fiz curso de informática quando eu estava no Ensino Médio e lembro que muitos tinham o bendito Orkut e eu não, e queria muito fazer, muito mesmo.
Em 2007, minha prima ganhou um computador e lembro que ela fez pra mim o Orkut! Eu tinha 17 anos e cursava o 2° ano. Mas como não tinha computador, se eu quisesse acessar tinha que ir à lan house, e eram lotadas na época, se brincasse não achava computador desocupado rsrs. Mas eu ia e adorava, mas ia muito raramente.
Em 2008 conquistamos nosso computador aqui e pude conhecer e participar do mundo virtual que é uma febre atualmente né, todo mundo vive com o celular na mão, rsrs.


Quem não lembra a pressa de digitar o e-mail e a senha logo para ver se tinha scrap, mensagem, depoimentos? Nossa, era demais, era uma febre mesmo, eu simplismente amava o Orkut. Queria receber algo melhor que chocolate? Um depoimento. E dependendo de quem mandava então, nossa era até ostentação! Todo mundo sonhava em ter muitos depoimentos, haha.
Lembram das comunidades? Eu entrava em muitas, participava das enquetes,etc. E sem contar que eu criava comunidades também, criava comunidades de cantores e músicas que eu gostava e também sobre amigos meus. Lembro que criei uma que chamava "O sapato da freira" que era um sapato muito velho que acharam na Capela onde acontecia nosso grupo de jovens. E então a comunidade fez sucesso, tinha enquetes muito engraçadas sobre essa freira que morou lá e deixou esse sapato, a gente era muito bobo, mas lembro que era muito divertida essa época.

Ah, eu estava nessa comunidade!


Mas também me recordo que criaram uma comunidade para mim nessa época, justamente meus colegas do 2° ano. Eles do nada olharam para mim e me acharam parecida demais com a bruxinha do Harry Potter, a Hermione, e virou a maior comédia, todo mundo só me chamava de Hermione e tem gente que me chama até hoje. Porque esse apelido se espalhou demais, todo mundo que me encontrava gritava : ô Hermione! Claro que era apenas uma leve semelhança, mas o povo que ama encrementar e exagerar né, criou a comunidade, chamava-se "Larissa e Hermione: irmãs gêmeas."
Lembro até que chegou a ter uns 50 membros, hahaha. Eu adorei, nunca pensei que poderia ter uma comunidade sobre mim. Lembro que fizeram uma montagem da minha foto com a dela e colocaram lá. Ficou muito engraçado.


Sobre o MSN
Ah que saudades do MSN, que delícia que era ficar conversando até altas horas da noite sem ter hora pra ir dormir. Com quem? Ás vezes com os amigos, o que era muito gostoso fazer aqueles grupos de bate-papo.  Mas acredito que quase todo mundo que entrava no MSN, esperava aquela pessoa, sabe aquela? Sim, aquela. Tipo assim:




Sim, eu tinha esse único motivo, aquela pessoa que eu esperava que entrasse, e quando ela entrava, que subia essa janelinha aí dizendo: "fulano de tal acabou de entrar." Nossa, um vento subia do meus pés até minha cabeça e quase me levava. Eu quase infartava e imediatamente essa pessoa vinha falar comigo, felizmente era algo mútuo, e olha, a partir desse momento então só existia essa pessoa para mim no MSN. Deixava todo mundo no vácuo, ficava aquelas janelinhas piscando e tinha gente que me chamava a atenção e tremia a tela toda, e era como se eu não visse nada disso. Eu só via aquela pessoa. Tomara que essa pessoa nunca leia esse post, porque vai saber que é ela e eu vou morrer de vergonha, mas acredito que isso é muito difícil de acontecer, quase impossível, caso aconteça, morre aqui, não venha me contar, hahaha.
Então o MSN durou até 2011 mais ou menos, porque aí logo surgiu o Facebook e não tive mais MSN, então em 2014 veio o famoso what's app que tem a mesma função, e melhor, convenhamos. Mas não significa que o MSN não tenha deixado saudades né? 
Enfim, muitas saudades. Quem sabe daqui uns anos será a vez do Facebook, Instagram e Twitter né? Espero que tenham gostado do post!

Até a próxima, nostálgicos e habitantes da blogosfera :)



sexta-feira, 26 de maio de 2017

Tratado sobre a Alegria

maio 26, 2017







Hoje foi um dia alegre, leve, muito feliz na minha vida. Compreendi que a felicidade está nas pequenas coisas, e que os momentos ainda que pequenos, mas vividos com intensidade podem ficar eternizados, se pararmos para vivê-los com nossa alma.
Compreendi que podemos viver momentos tristes, angustiantes, podemos sofrer muitas provações, sofrer com o outro e ter compaixão. Mas nada disso tem o poder de tirar nossa alegria interior se ela está fixada em Deus, se nosso coração estiver confiante n'Ele.
Compreendi que não podemos permitir que nossa mente se prenda em pensamentos negativos como medo, preocupações exageradas, lembranças ruins e acontecimentos passados. Nem o nosso coração deve estar preso a sentimentos ruins de tristeza, angústia ou desespero. Mas sim entregar tudo isso a Deus e deixar que Ele cuide de tudo isso. Saber que nossa alegria está NELE e não nos acontecimentos nem nas circunstâncias.
Hoje vivi três momentos maravilhosos: o primeiro foi na minha caminhada, que foi lá pelas 16h. Fui contemplando a natureza, sentindo aquele sol e embevecida com o céu azul, depois de tantos dias nublados! Aqueles passarinhos cantando, o lago, as árvores, eu via e ouvia tudo e parecia que era a primeira vez, absolutamente incrível. O segundo foi quando passei na Capela, na volta da caminhada. Também parecia que era a primeira vez que visitava o Santíssimo, aquele silêncio, aquela paz. O terceiro foi bem de tardezinha mesmo, na cozinha daqui de casa, enquanto eu bebia um cafezinho bem quentinho, observava o pôr-do-sol e ouvia uma música linda do grupo Bee Gees: "Massachusetts". Nunca vou esquecer como estava o céu naquele momento, parecia aquelas paisagens de capa de álbuns antigos de fotografias, sabe? Vou tentar achar algo parecido aqui na internet.


É. Esse foi o mais parecido que achei e deu trabalho pra eu achar, mas não chega nem perto, rsrs. Bom, a questão é que foi especial e merece ser compartilhado, nunca vou esquecer. E não foram nem cinco minutos de duração aquele momento.

Agora queria compartilhar as leituras que meditei hoje. A minha meditação foi o Evangelho do dia, o Salmo 15 e dois trechos do livro do Eclesiástico.
Evangelho João 16, 20-23: "Mas eu vos verei novamente e o vosso coração alegrará, e ninguém poderá tirar vossa alegria."
Salmo 15 : " Sois o meu Senhor, fora de Vós não há felicidade para mim. (...) Por isso meu coração se alegra, e a minha alma exulta, até meu corpo descansará seguro. (...) Vós me ensinareis o caminho da vida, há abundância de alegria junto de Vós e delícias eternas à vossa direita." 
Eclesiástico 13, 32: " O sinal de um coração feliz é um rosto alegre."
Eclesiástico 14,14: "Não te prives de um dia feliz e não deixe escapar nenhuma parcela do precioso dom."
Bom, eu fiquei muito impressionada com o carinho de Deus para comigo, pois o Evangelho era o do dia, mas o Salmo e as passagens do Eclesiástico achei por um acaso folheando a Bíblia! Incrível como tudo está falando de alegria nesse dia que vivi tão alegre, bem no dia de São Felipe Néri, o santo da alegria! Compreendem como Deus é explêndido? É que muitas vezes não paramos, não sabemos ouvi-Lo. Não O buscamos como deveríamos, mas Ele sempre tem muito a Nos dizer.
E hoje Ele me diz que a vida não é feita de tristeza nem de sofrimentos. Fazem parte mas não nos constituem infelizes ou tristes. Podemos passar por momentos tristes sem sermos tristes. Nossa alegria deve ser inabalável pois vem de Deus que é eterno, Ele não passa, nunca passará e está junto conosco o tempo todo, e nos ama intensamente, infinitamente.

O que quero dizer com esse post afinal? Não dê abertura para cara feia, para palavras negativas, para sentimentos ruins nem lembranças ruins. Não deixe coisas ruins tomarem seu coração e sua mente. Preencha-se de coisas boas, perdoe quem lhe fez mal, não fique a remoer. Peça perdão também.
Perdoe-se pelo que você arrepende de ter feito, deixe Deus curar o que lhe machuca, entrega a Ele sua vida e tudo o que se passa no seu interior. Sorria sempre, não deixe de sorrir, dê muitas risadas, lembre de coisas boas e engraçadas, procure pessoas que te levam pra cima, que sejam alto astral. Leve alegria aos outros, coloque alguém pra cima, faça alguém rir.
Chore quando for preciso também, mas chore para a pessoa certa e para Deus, pois as lágrimas lavam o nosso coração e Deus recolhe nossas lágrimas, Ele nos consola e ressuscita a alegria em nós. Console alguém que precisa ser consolado.
Não deixe de fazer o que você gosta, pratique hobbies, faça propósitos e cumpra-os, não ouça pessoas que te desanimam de realizar seus sonhos, dê passos para conseguir realizá-los. Ouça a música que você gosta, muitas vezes e cante junto, dance também se gostar de dançar.
Não tenha medo de parecer ridículo (a), não ligue para que os outros pensam e falam e também não acredite no que as pessoas falam, muitas são invejosas e querem nos ver para baixo.
Como Clarice Lispector disse, quem é feliz não tem tempo para nada, nem mesmo para ficar triste.
Bom, é isso, não quero que seja um texto de auto-ajuda mas sim um incentivo para quem ler esse post, para dizer sim à alegria, pois a alegria é o desejo de Deus para nós.